O WORKSHOP

Este evento é uma iniciativa do Comitê de Estudos C3 – Desempenho Ambiental dos Sistemas Elétricos do Cigré-Brasil e tem como objetivo reunir conhecimento e apresentar experiências que permitam analisar os procedimentos, métodos e iniciativas que vêm sendo implementadas para avaliar a efetividade das medidas de controle ambiental (preventivas, mitigadoras e compensatórias), solicitadas pelos órgãos reguladores no contexto dos processos de licenciamento ambiental dos empreendimentos do setor elétrico brasileiro, e aplicadas pelas empresas para reduzir os efeitos dos impactos sociais e ambientais decorrentes da implantação e operação dos empreendimentos do setor.

 

MEDIR A EFETIVIDADE DAS MEDIDAS DE CONTROLE AMBIENTAL

A avaliação da efetividade das medidas de controle ambiental estabelecidas durante o processo de licenciamento é uma etapa fundamental no processo de gestão dos impactos causados pela implantação e operação dos empreendimentos. Entretanto, não vem sendo objeto da atenção necessária, o que acaba tendo reflexos negativos no processo como um todo. Este fato associado aos significativos aumentos dos custos da gestão dos programas socioambientais, considerando o porte dos empreendimentos setoriais, tem suscitado muitas discussões e questionamentos.

 

Neste Workshop busca-se ampliar tais discussões, analisando os aspectos conceituais, apresentando estudos de caso relativos às experiências do setor elétrico e reunindo diferentes visões de especialistas nos debates, de modo a proporcionar o aprofundamento do conhecimento sobre o tema.

  • Metodologias, indicadores e procedimentos para avaliação da efetividade das medidas para redução dos impactos que estão sendo desenvolvidos/aplicados pelas empresas do setor elétrico.

 

  • Boas práticas na implementação e no monitoramento das medidas para redução dos impactos.

 

  • Resultados alcançados com as avaliações de efetividade de tais medidas já realizadas.

 

  • Procedimentos adotados para correção de rumo quando os resultados esperados não foram alcançados.

 

Articulação com os órgãos ambientais para aperfeiçoamento das medidas a serem implementadas.

Espera-se contribuir para a avaliação do custo-benefício e da efetividade das medidas de controle socioambiental, fornecendo diretrizes e recomendações para o aperfeiçoamento daquelas que vêm sendo adotada e para a gestão dos impactos dos empreendimentos setoriais como um todo.

 

10 de agosto de 2017

8:15 – 9:00 Credenciamento e Café de Boas Vindas
9:00 – 9:10 Abertura (Cigré CE-C3 e Furnas)
9:10 – 9:50 Palestra Prof. Luis Enrique Sánchez (USP)

Como assegurar e demonstrar resultados de programas de gestão socioambiental.

9:50 – 10:20 1º Estudo de Caso– “Indicadores de Belo Monte

Daniela Gomes Pinto (FGV- EAESP)

10:20 – 10:50 2º Estudo de Caso–“Avaliação Econométrica de Programas Socioambientais no Entorno de Usinas Hidrelétricas”

Alexandre Uhlig(Instituto Acende Brasil)

 10:50 -11:20 3º Estudo de Caso- “Plano de Controle da Malária na Implantação da Usina Hidrelétrica de Santo Antonio

Guilherme Abbad Silveira (Gerente de Sustentabilidade da Santo Antonio Energia- SAE)

11:20 – 12:00 Mesa Redonda – Discussão dos Estudos de Caso

Prof. Luis Enrique Sanchez (USP), Daniela Gomes Pinto (FGV- EAESP), Alexandre Uhlig (Instituto Acende Brasil), Guilherme Abbad Silveira (SAE) e André Andrade (IBAMA).

12:00 – 13:45 Intervalo para almoço
13:45 – 14:15 4º Estudo de Caso -“Sistemas de transposição e conservação da ictiofauna no contexto do licenciamento ambiental da UHE Eng. Sergio Motta (Porto Primavera)”.

André Luiz Mustafá (CESP)

14:15 – 14:45 5º Estudo de Caso – “Educação Ambiental no Processo de Licenciamento.”

Beatriz Rodrigues (FURNAS)

14:45 – 15:15 6º Estudo de Caso –  “Linha de Transmissão 230 kV Jurupari-Laranjal do Jari-Macapá: Programa de Aproveitamento Comunitário de Matéria Prima Florestal na RESEX do Rio Cajari”.

Hamilton Garboggini (ISOLUX Infrastructure )

15:15 – 15:45 A Visão do IBAMA – André Andrade (IBAMA)
15:45 – 16:10 Intervalo para Café
16-10 – 16-20 Apresentação dos resultados da pesquisa realizada pelo CE-C3
16:20 – 17:00 Mesa Redonda –  Discussão dos Estudos de Caso

Alexei Macorin Vivan (Diretor Presidente da ABCE), Prof. Luis Enrique Sánchez (USP), André Mustafá (CESP), Beatriz Rodrigues (FURNAS) e Hamilton Garboggini (ISOLUX Infrastructure) .

17:00 – 17:30 Conclusões e Recomendações

Encerramento

 

Patrocínio

O pagamento poderá ser feito por meio de depósito, ordem de pagamento, transferência bancária ou cheque nominal e cruzado a favor de:

CIGRÉ-Brasil
Banco Itaú S/A (341)

Ag: 8980

C/C: 00600-4

CNPJ do Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – CIGRÉ Brasil: 30.033.823/0001-84

Como Patrocinar

  • a utilização do logotipo da sua empresa em todo o material de divulgação do evento (prospectos, site do evento, etc.);
  • confecção de totem com a divulgação da empresa – com custos do evento –  a ser colocado no local do evento – a arte deverá ser fornecida pelo patrocinador.

​·         ​inclusão de logomarca nos slides de abertura e encerramento do evento;

  •      ​​inclusão de material de divulgação de sua empresa na pasta que será distribuída aos participantes;
  • o recebimento de 03 inscrições gratuitas no workshop;
  • acesso ao mailing list do evento

 

Investimento: R$​ 7.500,00​

  • a utilização do logotipo da sua empresa em todo o material de divulgação do evento (prospectos, site do evento,etc.);
  • a inclusão de material de divulgação de sua empresa na pasta que será distribuída aos participantes;
  • o recebimento de 02 inscrições gratuitas no workshop.​
  • acesso ao mailing list do evento

Investimento: R$​ 5.000,00​

  • a utilização do logotipo da sua empresa em todo o material de divulgação do evento (prospectos, site do evento,etc.);
  • a inclusão de material de divulgação de sua empresa na pasta que será distribuída aos participantes;
  • o recebimento de 01 inscrição gratuita no ​workshop.

 

Investimento: R$​ 2.500,00​

Furnas

LOCAL

Auditório de FURNAS – Rua Real Grandeza, 219 - Botafogo - Rio de Janeiro, RJ

COMITÊ DE ESTUDOS CE C3

DESEMPENHO AMBIENTAL DE SISTEMAS

O Comitê de Estudos Desempenho Ambiental de Sistemas – CE C3 do CIGRÉ-Brasil tem como escopo: “Identificar e avaliar os vários impactos no meio natural e construído causados pelos sistemas elétricos de potência, além de recomendar medidas adequadas de controle, gestão e monitoramento ambientais”. 

Para participar de nossas reuniões e grupos de estudo, entre em contato!

Coordenação e Grupos de Trabalho

Coordenadora CE C3:

Silvia Helena Menezes Pires – Consultora Independente

silviahpires@gmail.com

Secretário:

André Luiz Mustafá – CESP

andre.mustafa@cesp.com.br

 

Grupos de Trabalho Internacionais – SC-C3

 

Working Groups

TEMA

C3-01

EMF and Health

C3-02

Sustainable Development Performance Indicators (Transmission)

C3-03

Utilities Practices Sustainable Development

C3-04

Communication Strategies

C3-05

Environmental Impact Dispersed Generation

C3-06

Strategic Environmental Assessment

C3-08

External Costs for Power Lines

C3-09

Corridor management

C3-10

Sustainable Development Performance Indicators (Power Generation)

C3-12

Methodologies for Greenhouse gas inventory and reporting for T&D utilities

C3-13 (JWGC3/B2/B1)

Environmental issues of high voltage transmission lines for rural and urban areas

C3-14

Impact of Environmental Liability on Transmission and Distribution Activities

C3-15

General processes, procedures and methods to integrate substations into their local environments”

C3-16

Interaction Between Electrical Infrastructure & Wildlif

 

Os WGs assinalados em preto já concluíram seus trabalhos.

Os WGs assinalados em azul estão em fase final de elaboração de Relatórios.

 

Os WGs assinalados em verde encontram-se em andamento.

Grupo de Trabalho e Força-Tarefa Nacionais

Em andamento no CE-C3– 2017

GT / FT

TEMA

Coordenação

GT – C3-07 (Grupo Espelho do WG C3.16)-

Interações entre Infraestrutura Elétrica e a Fauna Silvestre – Situação Brasileira.

Paula Nakayama

Raquel Fontes (colaboradora)

FT 01-2017

Eficiência das Medidas Mitigadoras e Compensatórias

Silvia Helena Pires

 

Fale Conosco